Dando segmento ao post anterior, vou falar um pouco sobre o que aconteceu nesses 4 meses que se passaram desde que eu montei meu minhocário.

Nos primeiros dias, não faltou “comida” para as minhocas, ainda sem ter um controle sobre nossos excessos, demos a elas tudo quanto era tipo de coisa, cascas de frutas, restos de verduras e legumes, cascas de ovos, pão amanhecido… Depois, aos poucos nós fomos nos controlando, porque se colocássemos muita “comida” lá dentro sobrecarregaríamos o sistema, então o jeito foi irmos nos adequando a capacidade do minhocário, a Rô passou a cozinhar em menos quantidade, tentamos consumir todo o alimento fresco que compramos. A ordem era, se sobrou, dá pras minhocas, se não pode dar para as minhocas, então tem que comer, pro lixo é que não vai!

Voltando ao minhocário, o único problema que eu tive foi em controlar a umidade nas caixas, quando eu fiz ele, acabei fazendo os furos muito pequenos, e eles não davam tanta vazão ao excesso de umidade do sistema, depois que eu aumentei a quantidade e o tamanho dos furos, o problema foi totalmente resolvido, e agora a caixa debaixo está sempre cheia de chorume. Então quando montar o seu capriche no furos!

– Sempre coloque a mesma quantidade de alimento “molhado” e seco, 1 pra 1.
– Quando colocar a “comida” dê sempre uma mexida por cima.
– Nunca deixe o minhocário destampado, pois assim ele poderá atrair baratas e outros bichinhos nojentos.
– Prefira folhas secas a serragem, percebi que as minhocas nem ligam para a serragem.
– Se perceber que o sistema está ficando úmido demais, se aparecerem larvas por exemplo, procure saber o porque, veja se os furos são suficientes, se eles não estão tampados, ou se você não está colocando muita matéria úmida e pouca seca.

Acho que é isso.