Hoje de manhã, minha esposa me perguntou se algo havia acontecido na Bicicletada de ontem, eu disse que nada de grave, as mesmas coisas de sempre, alguns motoristas mais estressados, um pequeno tombo, e a alegria de sempre imperando sobre o resto. Ela insistiu na pergunta. Me disse que sua mãe havia visto no noticiário que um motorista havia atropelado 30 ciclistas na Bicicletada, sem entender eu disse que não era possível, pois além de ficar até o final, ainda permaneci conversando um tempão depois de chegarmos à Praça do Ciclista.

Não acessei a internet hoje, e acabei saindo para levar nossa filha a um show, na volta eu pedi que ela ligasse para sua mãe e perguntasse a ela o que se passou direito, fiquei preocupado de uma hora para outra, não sei porque. No momento em que ela ligava, minha sogra estava assistindo à reportagem falando a respeito, só há poucos instantes fiquei sabendo do que aconteceu de verdade, e depois de ver os vídeos e relatos, fico pensando que isso poderia ser com qualquer um de nós, lembrei da irmãzinha de um amigo na garupa na Bicicletada de ontem, e um sentimento muito ruim tomou conta de mim, algo que há muito tempo não sentia.

Estou escrevendo com o estômago mesmo. Com raiva, angústia, enojado. Vi todas as matérias que pude até agora e isso me deixou com mais raiva ainda. Jornalistas que tentam deturpar os fatos, e colocar a prova o poder de mobilização da Massa Crítica. Alguns falaram em feridos de um acidente! Nós sabemos o que passamos todos os dias no trânsito, aquilo não foi um acidente, nem de longe. Ver agentes do governo de lá tentando fazer um trabalho sorrateiro de lavagem da cena de um crime exigindo que a pista fosse liberada após a tentativa de assassinato. Fortes como só os que sentem o vento no rosto, os ciclistas permaneceram no local e exigiram a presença policial. Irão até o fim, isso não ficará impune.

Tenho certeza que esse fato só serviu para fortalecer ainda mais a galera de lá, uní-los mais, e se é um monstro que eles querem que sejamos, que assim o seja. Monstruosa a Massa, intensa, vibrante, direta, um monstro com milhares de cabeças espalhadas por todos os cantos, com idéias próprias, sem o cabresto com que alguns estão acostumados, sem liderança, anárquica e caótica como o coração dos loucos que sonham viver cidades livres da carrocracia.

A luta segue, os relatos e vídeos tem sido postados no blog da Massa de lá, assim como os chamados para mobilização. Espalhem esse fato o máximo que puderem!

http://massacriticapoa.wordpress.com/

Muita luz e energia a todos que viveram essa experiência horrível.