You are currently browsing the tag archive for the ‘freeway do serra’ tag.

Hoje fui até as obras na Marginal Tietê, na Freeway do Serra. Cheguei atrasado e só deu tempo de ver um bonde indo embora. Decidi ficar por lá, atravessei a pista para fazer umas fotos e acabei passando um bom tempo conversando com alguns funcionários da obra.

Como eu já imaginava, muitos deles não compactuam com o que são obrigados a fazer. Em poucos minutos de conversa, eles despejaram diversos argumentos para justificar o quanto esta obra é estúpida e retrógrada, mas que não podem fazer nada a não ser acatar as ordens: “Infelizemente, se eu descer a pá aqui, eles me mandam embora e amanhã tem 10 na fila pra entrar no meu lugar. Eles dizem que vão plantar em outro lugar, mas o problema não é plantar, é ter que derrubar, entende?”.

É nítido que estes funcionários estão sentindo na pele o descontentamento dos cidadãos, foi só eu atravessar a pista e me aproximar puxando assunto para eles começarem a desculpar-se. Eu disse que jamais iria até lá para julgá-los ou culpá-los, mas apenas para ouvir o que tinham a dizer e o que sentiam tendo que fazer aquilo. “Você viu aquele rio na China? Um moço que veio aqui me mostrou. Coisa mais bonita. Imagina esse riozão daquele jeito, ia ter até peixe de novo”, talvez referindo-se à revitalização do Rio Cheonggyecheon, em Seoul.

O mais triste de tudo isso, é saber que esses homens, esses trabalhadores, agora totalmente esclarecidos sobre o quão agressiva esta obra é – desde a forma como foi aprovada, passando pela derrubada indiscriminada das árvores e posteriormente com o impacto que essa imensidão de concreto causará -, terão que chegar em suas casas e ao deitarem-se no travesseiro, refletir sobre o verdadeiro peso de suas mãos.

IMG_2288

Pedal de Luto – Luddista

Pedal Verde na Velha Marginal – Ecologia Urbana

Acabei de chegar da Marginal Tietê. Ao sair do trabalho, eu desci para lá, pois até agora só tinha visto as fotos do “massacre” na internet. Tentei tirar algumas também, mas a minha câmera não aguentou o tranco, então fiz um vídeo que segue abaixo. O que posso dizer é que os trabalhos são incessantes mesmo, derubaram as árvores, recolheram os restos e já planaram uma parte do terreno. A sensação ao ver tudo aquilo foi de impotência, estão cheios de sacos pretos ao longo da via cubrindo os restos das falsas seringueiras e outras ávores que um dia foram imensas, e por anos prestaram sua humilde contribuição a nós “cerumanos”. Não cabe a mim falar de números, projeções e coisas do tipo, mas não foi sempre falado que o Rodoanel iria “desafogar” este trânsito da Marginal? Que a “culpa” desta imensa lentidão se deve aos veículos de passagem por São Paulo? Enfim, tirem suas conclusões… Ano de eleição, lobby, as indústrias de carro do mundo inteiro em queda e aqui em São Paulo, recordes de venda.

Aqui mais posts sobre esse absurdo:

Aqui jaz uma cidade – Apocalipse Motorizado

As Marginais não param – Ecologia Urbana

Matando árvores para dar espaço aos carros – Vá de bike

O autor

Valdinei Calvento - ilustrador.

Gente boa, tranquilão, bom pai, anda de bicicleta (e acredita nela), curte desenhar, plantar umas sementinhas, acredita em algumas pessoas, luta por elas, e sempre que possível, corre de São Paulo.

Bicicleta Girassol é o meu portifólio.

Creative Commons

Gostou dos desenhos e textos? Odiou? Não tem problema, se estiver afim, pode usar, fica à vontade. Tudo o que está aqui é seu também. Se quiser, é claro.

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 78 outros seguidores