Faz algum tempo que venho constatando um fato. De dez “fininhas” que levo, pelo menos 8 são de taxistas. Já tentei “analisar” dividindo entre motoristas mais velhos e mais novos, e dá na mesma, não importa muito a faixa etária. Me lembro que há uns 3 anos atrás, os motoristas de ônibus eram os mais mal educados, verdadeiros “monstroristas”. De um tempo pra cá, realmente os trabalhos de conscientização feitos nas garagens parecem ter surtido efeito, raramente tomo fechada de ônibus, e percebo muitas vezes uma certa curiosidade dos motoristas quando paro ao lado deles. Enfim, realmente é complicado taxar uma categoria inteira pelo comportamento de alguns, por isso, só o que estou colocando aqui é algo que percebo quando estou trafegando por aí.

O trânsito de São Paulo continua longe de ser amigo do ciclista, no entanto, eu tenho certeza que a presença cada vez maior de bicicletas nas vias, forçará os motoristas a educarem-se para evitar conflitos.

Vamo que vamo.

Anúncios